terça-feira, 15 de julho de 2014

Apanhe todos os pedaços que você perdeu nessas andanças e venha. - Caio


Cheia dos pré julgamentos, abarrotada de rótulos dos mais variados...
 Esgotada com a ironia disfarçada de "é só brincadeirinha".
 Cansada de tentar ler pensamentos e adivinhar os sentimentos que
 "dizem sentir", 
 quando as atitudes (ou a falta delas) me provam o contrário. 
Sem forças pra aguentar a avalanche de críticas e opiniões alheias,
dos que falam em boas intenções, mas no fundo só querem me tornar como eles; 
pois se acham padrão de vida. E definitivamente não me aceitam como sou.
Suas risadas me custam muitas lágrimas. 
Sua incompreensão me custa ser cada vez mais introspectiva.
A palavra amor nunca foi tão utópica e fantasiosa como agora. 
E a maldade e egoísmo humano nunca foi tão evidente.
Mascarar sentimentos, disfarçar emoções se tornou sinônimo de maturidade e aceitação. 
Ser sincero, intenso e nao ter vergonha de expor seus sentimentos 
se tornou sinônimo de pieguice e rebeldia.
Enquanto sorrio sou bem recebida. 
Enquanto choro me resta me isolar num banheiro.

Que mundo é esse, meu Deus?
Quero ir embora daqui. 

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Reza a lenda que a gente nasceu para ser feliz ;)


“Porque o amor cara, 
amor é pra aqueles que aguentam 
sobrecarga psíquica.”
 
Charles Bukowski.

domingo, 29 de junho de 2014

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Vai me ver com outros olhos ou com os olhos dos outros ?


Muitas vezes as circunstâncias da vida tentam nos separar. 
Muitas vezes nos separou por meses sem nenhum resquício de volta. 
Mas a vida, como um imã entre nós, não nos permite ficar afastados.
 Mesmo que um de nós esteja determinado a não procurar o outro, ela vem e nos junta. Brigas?
 Milhares. Não faço ideia de quantas, mas são muitas, muitas mesmo. 
A tal ponto de acharmos inviável a convivência.
 Mas basta uns 10 minutos e estamos novamente rindo um com o outro 
como se nunca tivesse acontecido algo. 
E essa vida cheia de brigas e vai e volta se arrasta por anos. 
Mas com o tempo o sofrimento que vinha com a distância tornou-se tão insuportável 
que fazemos qualquer coisa para não brigar. A falta que o outro faz é terrível. 
Muitas intimidades da vida sem ter com quem compartilhar. 
Saber que somente uma pessoa poderia falar daquele assunto, cantar aquela música,
 conversar por horas ou simplesmente ficar calado deitado ao seu lado. 
Por que a intimidade chega ao ponto de não ter que dizer mais nada.
 Basta um olhar, um sorriso e pronto. Tudo entendido. 
O sofrimento nos amadureceu e colocamos nós dois acima de tudo, 
sem deixar que outras pessoas nos façam brigar.
 E assim vamos vivendo essa vida que não nos deixa separar. 
 Minha conclusão? Ela tem um propósito pra nós.
 Disso não tenho a menor dúvida.
Eva Mota *-*

domingo, 16 de fevereiro de 2014

Triste mesmo é ter que ficar longe de quem a gente mais quer por perto.


Talvez seja a hora de engolir o choro e limpar esse rosto.
 Dói, eu sei, mas não é pra sempre.